terça-feira, 14 de junho de 2011

Testemunho: Evangélico conta como conseguiu perdoar criminosos que mataram seus pais e estupraram sua irmã



Como pode um homem sobreviver à morte brutal dos seus pais, perdoar aos assassinos dos seus pais, escrever um roteiro e desempenhar o papel do seu pai num filme sobre o pior dia da sua vida?
Com fé.
Brooks Douglass conta a sua trágica história no novo filme “Heaven’s Rain,” disponível em DVD. O filme conta como a vida da sua família mudou depois de dois homens terem rendido a família à mão armada e estuprado sua irmã.
Apesar de ser um pesadelo que é difícil de reviver, Douglass disse que pretende honrar a Deus e a fé de seus pais e não deixar que nada pelo qual ele passou seja em vão.
Douglass e sua irmã, Leslie, cresceram num lar cristão, em que ambos os pais se juntaram ao campo de missão brasileiro. A sua família se mudou para Oklahoma City mais tarde onde o seu pai se tornou o líder de uma Igreja batista.
Em 15 de outubro de 1979, eles viviam de acordo com o que pregavam e ofereceram ajuda a um homem quando ele perguntou se podia usar o seu telefone. O vagabundo drogado Glen Ake foi mais tarde apoiado pelo seu parceiro Steven Hatch e eles sacaram de armas perante a família. Douglass, que tinha 16 anos na época, foi amarrado com seus pais, enquanto a sua irmã de 12 anos foi levada para o segundo andar e estuprada.
Eles dispararam então em todos os quatro membros da família e abandonaram o local pensando que eles estavam todos mortos. Os jovens irmãos conseguiram sobreviver, enquanto que os seus pais morreram instantaneamente. Eles saíram de sua casa e procuraram ajuda depois.
Em uma entrevista com o The Christian Post, Douglass, agora com 48 anos de idade, disse que o que aconteceu com ele não o fez rejeitar a sua fé.
“Eu certamente nunca pensei em abandonar a minha fé. Houve tantas vezes em que eu vi as mãos de Deus em ação durante o tempo e ao longo do tempo desde então. Houve definitivamente vezes em que eu estava zangado com Deus.”
Quando ele e a sua irmã deixaram a casa em busca de ajuda, ele percebeu que nada disso teria sido possível sem a mão de Deus em ação. Embora ele não entenda a razão por que isso aconteceu, ele não desistiu da sua vida sabendo que havia uma razão pela qual ele e a sua irmã sobreviveram.
“Eu gritei várias vezes a Deus perguntando-Lhe por que permitiu que isto acontecesse, mas a resposta sempre vinha dizendo ‘Eu estou com você, estou mais perto de você do que nunca.’”
Ele acrescentou: “Deus tem sido fiel à sua palavra. Eu tenho uma família.”
Em 1990 ele foi eleito o senador mais jovem do estado de Oklahoma, quando tinha apenas 27 anos. Ele ajudou a passar legislação que permite que as vítimas de crimes assistam a execuções, o que permitiu que ele e a sua irmã assistissem ao fluxo de veneno ser injetado nas veias de Steven Hatch.
Os homens foram capturados em 1980 e foram sentenciados à morte. Mas durante cerca de 16 anos os irmãos tiveram que ir a tribunal para testemunhar repetidas vezes o que tinha acontecido.
Em 1995, Douglass solicitou uma chance para conversar com Glen Ake. Esse momento foi retratado em seu filme e é uma das cenas mais cruciais. Quando questionado sobre como se sentiu durante a cena, ele disse: “Foi muito pior do que pensava que seria. Foi muito brutal. é algo que eu nunca quero fazer de novo.”
Porque ele tinha vindo de uma família que enfatizava o poder do perdão, ele queria refletir a vida de seus pais. Mas “quando eu estava a caminhar para esse encontro, o perdão era a última coisa em que eu estava pensando; eu estava com raiva,” lembrou ele.
Douglass conseguiu perdoá-lo e lembra-se de sentir como se pudesse respirar novamente.
“Quando eu disse a ele que o perdova, lembro-me de cair para trás na cadeira e, literalmente, sentir-me como se o meu corpo estivesse cheio de água e fosse veneno. Senti como se a água estivesse a inundar a sala e foi tão surreal.”
“Quinze anos depois, eu senti que podia respirar de novo. Eu estava quase ofegante por causa desse sentimento. Quando sai para fora, as folhas das árvores eram mais verdes, o céu mais azul, todos os meus sentidos estavam exacerbados.”
O título “Heaven’s Rain” é baseado em uma citação de Mateus (“Ele envia a chuva sobre justos e injustos”) e de William Shakespeare (“A qualidade da misericórdia não é forçada. Ela desce como a suave chuva do céu”).
O filme demonstra que a fé e o perdão são mais poderosos do que qualquer um pode imaginar.
“A cura e o perdão é um processo,” concluiu Douglas. “às vezes, só temos de dizer: ‘Senhor, eu estou disposto a perdoar, mas não estou pronto para perdoar agora’ e sermos realmente honestos com nós mesmos. Eu acho que Deus pode honrar isso e trabalhar isso em nossos corações, para por fim nos levar para o lugar onde podemos perdoar.”