quinta-feira, 28 de abril de 2011

"Quando todos os recursos falham" (Última devocional de David Wilkerson '1931-2011'')

Última devocional de David Wilkerson postada no site de seu ministério, hoje, 27 de abril, quando o Senhor levou esse servo para si, falecido num acidente de carro.



Crer quando todos os recursos fracassam agrada muitíssimo a Deus e é altamente aceito por ele. Jesus disse a Tomé "Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram." (João 20:29)

Bem aventurados os que crêem quando não existe evidência de uma resposta a sua oração. Bem aventurados aqueles que confiam mais além da esperança quando todos os meios fracassaram.
 
Alguém chegou a um lugar de desespero, ao final da esperança e ao término de todo recurso. Um ser querido enfrenta a morte, e os médicos não dão esperança. A morte parece inevitável. A esperança se foi. Orou pelo milagre, porem, esse não aconteceu.

É nesse momento quando as legiões de Satanás se dirigem a atacar sua mente com medo, ira e perguntas opressivas como "Onde está teu Deus? Você orou até não lhe restaram lágrimas, jejuou, permaneceu nas promessas e confiou" Pensamentos blasfemos penetraram em sua mente: "A oração falhou, a fé falhou. Não vou abandonar a Deus, porem não confiarei Nele nunca mais. Não vale a pena!" Até mesmo perguntas sobre a existência de Deus acometem sua mente!

Tudo isso foi dispositivos que Satanás empregou durante séculos. Alguns dos homens e mulheres mais piedosos de todas as eras viveram tais ataques demoníacos.
 
Para aqueles que passam pelo vale da sombra da morte, ouçam essas palavras: O pranto durará algumas tenebrosas e terríveis noites, mas em meio a essa escuridão logo se ouvirá o sussurro do Pai: "Eu estou contigo. Nesse momento não posso lhe dizer por que, mas um dia tudo terá sentido. Verás que tudo era parte de meu plano. Não foi um acidente. Não foi um fracasso da tua parte. Agarre-se com força. Deixe Eu te abraçar nessa hora de dor"

Amado, Deus nunca deixou de atuar em bondade e amor. Quando todos os recursos falham, Seu amor prevalece: Aferre-se a sua fé. Permaneça firme em Sua Palavra. Não há outra esperança nesse mundo.
 
 
tradução: Armando Marcos




terça-feira, 19 de abril de 2011

Um Violinista no Metrô

Gosto de estar informado, e para isto gosto sempre de ler notícias pela manhã, logo cedo, assim que entro na web. E um certo dia me deparei com um artigo interessante postado no Jornal "The Washington Post" de Washington - EUA, que foi publicado pela EFE / Folhaonline.com.br.

Como é interessante percebermos que muitas vezes valorizamos mais o que é divulgado pela mídia enriquecida pelo marketing das propagandas, fazendo com que as coisas anônimas e simples da vida não tenham apreciação alguma.

O homem gosta mesmo de tudo o que é evidenciado pelos meios de comunicação, onde muitos olhares são atraídos e o seu dinheiro abduzido de sua carteira pelo simples fato de estarem participando de um evento, as vezes concorridíssimo, por causa das campanhas de divulgações que atraem muitas pessoas que fazem de tudo para estarem por dentro destes eventos divulgados pela mídia.

O homem não aprecia o cotidiano, são poucos os que valorizam a arte de anônimos, e isso me faz perguntar: será que apreciamos as coisas porque gostamos ou porque as massas, maioria das pessoas, as valorizam?

Aprecie o Artigo que li em meio as noticias na manhã de 10 de Abril de 2007, e que reencontrei enquanto buscava alguns trabalhos que fiz no Seminário durante aquele ano para que possamos refletir um pouco, cujo o título foi:
 

Violinista Famoso toca em Metrô dos EUA e passa quase despercebido
 

Joshua Bell - Famoso Violinista
Norte-americano

O famoso violinista norte-americano Joshua Bell, 39, mostrou que, apesar de tocar de forma magistral as mais belas composições clássicas, os usuários do metrô da capital norte-americana, Washington, são insensíveis ao seu virtuosismo.

Em experimento descrito num artigo publicado no último domingo, o jornal "The Washington Post" convidou Bell, um dos melhores violinistas do mundo, para tocar no metrô da cidade, com o intuito de constatar a reação do povo à música do instrumentista.

Às 7h51 (horário local) do dia 12 de janeiro, na estação L'Enfant Plaza, centro da capital federal, o artista e ex-menino prodígio começou seu recital de seis melodias de diversos compositores clássicos diante de dezenas de pessoas que só pensavam em chegar a tempo ao trabalho. A idéia do jornal era descobrir se a beleza seria capaz de chamar a atenção num contexto banal e num momento inadequado.

Violino Stradivarius de 1713
avaliado em US$ 3,5 Mihões
Bell, vestido de calça jeans, camisa de manga comprida e boné, tocou seu Stradivarius de 1713, avaliado em US$ 3,5 milhões, para 1.097 pessoas que passaram a poucos metros de distância durante sua apresentação.

Ao longo dos 43 minutos em que tocou, o violinista nascido em Indiana arrecadou US$ 32,17 posteriormente doados para instituições beneficentes, valor bem abaixo dos US$ 100 que os amantes de sua música pagaram três dias antes por assentos razoáveis (não os melhores) no Boston Symphony Hall, que na ocasião teve lotação esgotada.

Na estação L'Enfant Plaza, fora dos grandes palcos e tendo como única companhia seu violino, Bell só foi reconhecido por uma pessoa, e poucas pararam para ouvi-lo por alguns instantes.

Segundo o "Post", Leonard Slatkin, diretor da Orquestra Sinfônica Nacional dos Estados Unidos, esperava que "entre 75 e 100 pessoas parariam e passariam um momento ouvindo" o artista, ainda que nenhuma delas fosse reconhecê-lo à primeira vista.

Na verdade, só três minutos e 63 pessoas depois, alguém se deu conta de que uma bela melodia ecoava no metrô.

Um homem de meia idade foi o primeiro a tirar os olhos do chão e a desviá-los em direção a Bell, mesmo que por um segundo. Trinta segundos mais tarde, uma pessoa depositou o primeiro dólar no estojo do violinista. No sexto minuto da apresentação, finalmente alguém decidiu parar por um momento e se apoiar numa das paredes da estação para apreciar a boa música que era tocada.

O violinista começou seu pequeno concerto popular tocando a "Chacona" ("Partita nº 2"), de Johann Sebastian Bach (1685-1750). Depois, prosseguiu com a "Ave Maria", de Franz Peter Schubert (1797-1828), e a "Estrellita", de Manuel Ponce (1882-1948).

Ao todo, foram sete os indivíduos que interromperam seus passos para ouvir Bell, enquanto 27 decidiram dar-lhe algum dinheiro.

Embora só uma mulher que havia estado num de seus concertos tenha reconhecido o instrumentista, de modo geral, as pessoas que pararam para ouvi-lo perceberam que não se tratava de um músico qualquer.

"Era um violinista soberbo, nunca tinha ouvido nada assim. Ele dominava a técnica, seu fraseado era ótimo. E seu violino também era bom; tinha o som amplo, rico", descreveu John Piccarello, um supervisor do serviço postal que um dia tocou o instrumento.

Outro usuário do metrô que parou para ouvir o virtuoso violinista foi John David Motensen, funcionário do Departamento de Energia e que, sem os conhecimentos de Piccarello, disse ao "Washington Post" que a música de Bell o fazia "sentir uma paz".

Gene Weingarten, o redator do "Post" que teve a idéia do experimento, disse ontem numa conversa com leitores do jornal que atrasou a publicação do artigo devido ao prêmio mais importante da música clássica, o Avery Fisher, que o artista recebe hoje.

Segundo a publicação, os cidadãos de Washington confirmaram a máxima de que "a beleza está nos olho de quem vê". E, aparentemente, nos ouvidos de quem ouve.

 Fonte: EFE, em Washington / Folhaonline.com.br

  
Que intrigante experimento não?

Mas será que aquele violinista ficou abatido, por não ser reconhecido pelas centenas de pessoas que passavam por ali naquele instante? Será que ele ficou triste por não se aglomerarem algumas centenas delas, as quais chegam a pagar US$ 100,00 (cem dolares) para apreciarem seu talento, ou seja, nos dias de hoje quase R$ 160,00 por uma única apresentação?

A resposta com certeza é não. Ele sabe o seu valor, ele sabe que está fazendo o que gosta de fazer,  que ama está tocando o instrumento que o despertou para aquele sublime talento.

Quero também perguntar a você aproveitando este inusitado acontecimento, será que você sabe o valor que tem? Será que você faz por prazer, por amor, por gratidão ao talento que Deus te deu? Será que você executa a sua função com tanta maestria e entusiasmo como faz este talentoso violinista famoso?   Você corre pela fama? Faz o que sabe fazer para que possa ficar famoso ? Seu talento é somente pelo dinheiro ?

Espero que você esteja entendendo, Deus fez você, uma pessoa única, não há outro igual a você no universo, não existe tal como você, você é querido(a) e amado(a) por Deus. Seu valor é tão inestimável, pense bem, que vale a pena lembrar, o homem não conseguiu fazer até hoje uma cópia exata dele mesmo, de tal forma que as idéias, os sentimentos, os talentos possam ser idênticos ao original. Deus deu o seu bem mais precioso, seu único filho, como sacrifício para que você não deixasse de existir, para que seus pecados fossem perdoados, para que você tivesse lugar com Ele na eternidade, em Sua glória.

Na Bíblia, na Carta de Paulo aos Efésios, capítulo 2 e no versículo 10, está escrito: "Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas". A palavra que foi traduzida para "feitura",  também pode expressar, quando traduzida do grego para o português, a palavra "POEMA". Sendo assim, somos POEMA dele, dele quem? De  Deus, criados em Cristo Jesus, para boas obras. Essas boas obras só são possíveis quando nascemos de novo por meio do Espírito Santo de Deus, quando nos arrependemos de nossos erros, pecados, falhas, e reconhecemos que nada fomos, nada somos, nada seremos sem a graça e a misericórdia de Deus para com nossas vidas, por meio do reconhecimento de que Cristo morreu por todos nós, nos livrando da condenação eterna.

Agora, reconhecendo o porque existimos, e para que Ele nos deu os talentos, os dons que temos, não necessitamos mais de uma platéia, de um palco, de uma grande arquibancada, de marketing, de propaganda, da mídia, para usarmos tudo que somos, tudo que temos, tudo o que Ele nos deu para engrandecermos a Ele mesmo, merecedor de toda honra, toda música, toda arte, toda expressão, todo talento que temos. Por que? Porque ele nos fez, a cada um, um POEMA único, com toda a expressão de amor dEle.

Que você, poema de Deus, sua vida, possa proclamar o Amor dEle para outros que precisam saber que são únicos, preciosos, feituras dEle, poemas de Deus.

Alegra-te homem!!! Alegra-te mulher !!!  Alegra-te jovem !!! Alegra-te criança !!!   És um poema lindo e único feito pelo Criador do Universo.

Um Bom Dia para você poema lindo de Deus!


[Charles Dantas R. Lima, Técnico em Eletrônica e Informática pela ETER - Escola Tecnológica Redentorista, atualmente é Seminarista no Curso de Teologia com Enfase em Missiologia pelo Seminário Teológico Evangélico do Betel Brasileiro em João Pessoa-PB / BRASIL, também auxilia o Pr Marcos Eduardo na PIB-JCU - Primeira Igreja Batista do Jardim Cidade Universitária como Secretário do Ministério nas Assembléias, casado com Artemizia Lima, pai do João Lima Segundo.]
   

Câmara aprova projeto que regulamenta Lan Houses

Estabelecimentos passam a se chamar Centros de Inclusão Digital.
Centros serão obrigados a registrar nome e identidade do usuário.


Lan House


O plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (19) regulamentação do funcionamento das lan houses, que passam a se chamar Centros de Inclusão Digital. O texto prevê que os estabelecimentos sejam obrigados a registrar nome e identidade dos usuários, mas não prevê punições.

O projeto ainda precisa ser votado no Senado antes de virar lei.

O texto incentiva as lan houses a se legalizar e determina que elas criem instrumentos para impedir o acesso de menores a conteúdos adultos.

Os estabelecimentos terão ainda prioridade no acesso às linhas de financiamento especiais da administração pública para aquisição de computadores.


Fonte: G1 / Brasília

Peugeot é lançado na Paraíba em grande estilo


Lançamento Peugeot 408 na Paraíba

Na noite do sábado (2) aconteceu o lançamento do Peugeot 408 em todo o Brasil e na Paraíba a nova aposta da montadora francesa já pode ser vista na Monte Carlo, em João Pessoa. O sedã vem para concorrer com os já consolidados New Civic, da Honda, e com o Corolla, da Toyota.

 
O 408, no entanto, tenta se diferenciar dos demais com o grande número de recursos tecnológico e bujingangas, ou “gatgets” como está na moda dizer. E a novidades vão desde limpadores de farol, com jatos d’água, a localizadores GPS instalados de fábrica. Entradas para dispositivos USB, p2 e tomada de 12 volts também estão presentes no belo painel com detalhes cromados.

Mas o ponto alto do modelo, que custa entre R$ 59 mil e R$ 80 mil, é o conforto. E não é só dos retrovisores rebatíveis eletronicamente que estou falando. Nem do banco com ajustes em 4 direções mais o ajuste do encosto, tudo elétrico. Também não estou falando dos sensores traseiro e dianteiro de estacionamento que ajudam a não encostar na hora de guardar o carro na garagem apertada.

O que chama a atenção são o ar-condicionado com temperaturas específicas para motorista e passageiro e o farol de Xenon direcional que se adapta à direção para onde o carro segue. Além, claro, do o grande número de funções do computador de bordo, todas ao alcance dos dedos, junto do volante.

Para quem não tem o prazer de dirigir e sentir a potência silenciosa do motor 2.0 flex, de 151 cavalos, mas tem o privilégio de ser levado no banco de trás, as saídas de ar-condicionado e o fácil acesso tanto aos objetos da mala através de uma abertura no banco, quanto aos controles dos gatgets ligados ao rádio do carro, completam o conforto do grande espaço interno.

No quesito segurança, freios ABS, até 6 airbags, e um controle de tração para pista molhada fazem do novo sedã da marca francesa um dos mais seguros do mercado. O 408, diferente do fracasso de vendas 307, é um modelo que já nasceu sedã, portanto não vem com os problemas na suspenção e freios causados pela diferença no peso da carroceria, por exemplo, dos carros hatch adaptados.

Fonte: Paraiba1 / Blog "Dirigindo com Maurício Melo"

Os novos Cursos de Graduação

O avanço da tecnologia e a globalização econômica estão levando as universidades brasileiras a rever seus cursos de graduação, a redefinir suas linhas de pesquisa na pós-graduação e a desenvolver novos projetos pedagógicos. Essa mudança começou timidamente no final do século 20, com a criação de cursos tecnológicos, e ganhou corpo na primeira década do século 21, com o surgimento de bacharelados não convencionais, em áreas como biodiversidade, meio ambiente e energia.

Com o alargamento das fronteiras do conhecimento, o desenvolvimento de novas fontes de energia e a diversificação da economia, propiciados pela expansão da informática, algumas profissões tradicionais desapareceram e outras acabaram surgindo. E, à medida que o mercado de trabalho se tornou mais flexível e mutante, as instituições de ensino superior se viram obrigadas a criar cursos superiores novos e específicos - como bioinformática, engenharia de energias renováveis e agroecologia - ao lado dos cursos tradicionais, como direito, administração e ciências sociais, que proporcionam uma formação clássica e generalista.

Com menor duração e menor abrangência acadêmica, os primeiros desses novos cursos foram lançados por universidades privadas e confessionais com o objetivo de atender a demandas conjunturais de mão de obra qualificada em alguns setores da economia. Como eram experimentais e tinham forte apelo de marketing, alguns desses cursos acabaram frustrando os alunos, registraram alto índice de evasão e não sobreviveram a mais de uma ou duas turmas.

Mas o mercado não deixou de exigir profissionais com uma formação cada vez mais sofisticada, e isso estimulou as universidades públicas e as maiores universidades privadas e confessionais a investir na oferta de cursos de caráter interdisciplinar. Esse foi um dos fatores que levaram a USP a criar o câmpus da zona leste, em 2005, oferecendo somente cursos novos. No Norte do País, as universidades federais passaram a oferecer cursos que dão prioridade às peculiaridades regionais, mesclando agronomia e zootecnia e valorizando o inventário florestal da Amazônia. Em Minas Gerais, algumas universidades aperfeiçoaram a graduação em tecnologia de alimentos, oferecendo, por exemplo, o curso de Ciência de Laticínios. E, no Rio Grande do Sul, de olho na construção de parques eólicos, a Universidade Federal do Pampa criou no câmpus de Bagé um curso de engenharia elétrica que valoriza mais as atividades de gestão do que as de geração de energia.

As entidades empresarias há muito tempo reclamam da falta de pessoal com formação superior, qualificado nas principais áreas da economia, e apontam para o risco de um apagão de profissionais nas novas áreas do conhecimento. Para orientar as universidades, o Ministério da Educação (MEC) começou a elaborar um mapeamento do mercado, com o objetivo de identificar as carências por região e áreas de conhecimento. Voltada para as engenharias, a primeira parte do projeto deve ser concluída dentro de dois meses - as partes restantes deverão estar prontas até dezembro, quando o MEC deverá sugerir às universidades os cursos a serem criados.

Embora as instituições de ensino superior tenham autonomia para decidir os campos profissionais em que irão atuar, o MEC e as agências de fomento à pesquisa querem evitar desperdício de recursos e iniciativas de duvidosa utilidade. Isso, por exemplo, aconteceu com o bacharelado em Estudos de Gênero e Diversidades da Universidade Federal da Bahia. Criado há três anos, com base num programa que inclui disciplinas como feminismo, relações de poder e orientação sexual, ele ainda não consegue preencher as 50 vagas oferecidas anualmente.

A reestruturação das universidades é um fenômeno que vem ocorrendo no mundo inteiro. Para os especialistas em educação, o que deve prevalecer nas mudanças é o bom senso dos órgãos colegiados, nas universidades públicas, e dos mantenedores, nas universidades privadas e confessionais.


Fonte: Estadão / Opinião

Europa alerta sobre perigos das Redes Sociais

A União Europeia alertou que muitas crianças não utilizam as configurações de privacidade em sites de redes sociais como o Facebook que poderiam deixá-las menos vulneráveis a bisbilhoteiros e a outros perigos na rede.

Os dados da UE mostram que 77% dos jovens dos países membros entre 13 e 16 anos têm perfis em redes sociais. Entre os que têm entre 9 e 12 anos, o número passa para 38%.

Vinte e cinco por centos dessas crianças não usam as configurações de privacidade que podem deixar o perfil mais restrito a usuários desconhecidos, e um quinto delas publicam números de telefone ou endereços em seus perfis, que são abertos.

A representante da UE para o programa Digital Agenda, Neelie Kroes, disse nesta segunda, 18, que “essas crianças estão se apresentando de uma maneira muito perigosa e vulnerável a aproveitadores”.

Kroes fez o alerta pedindo aos sites de redes socias que impeçam automaticamente que perfis de menores possam ser vistos por usuários além de seus amigos no site.


Por: Agências / AP

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Brasilidade Mitológica

Morreu José Alencar. Todas as vezes que morre alguém desse talhe a mídia atiça e emplaca uma nova roupagem na fabulosa Mitologia Brasileira. Sem dúvida vivemos em um habitat mitológico, pessoas crêem e fazem coisas sem saber o motivo, sem saber ao menos se é falso ou verdadeiro. Morreu mais um José, mas, não foi aquele seu “zé” da Comunidade do Timbó que foi atingido por uma bala “achada”(se fosse perdida jamais teria matado, estaria perdida até hoje), destarte, quem morreu foi o José Alencar biografado pelas lentes da mídia, não o verdadeiro José Alencar, ocultado pela mesma mídia: Empresário, Ex-Vice Presidente, Bilionário, Monopolizador, Soberbo, Luxuriante, Avarento, Romeiro, Mariólatra, e morreu do jeito que saiu do ventre da sua madre, e o mais grave: morreu órfão da Luz dos homens.



Parece um filme de ficção quando essa “espécie de gente” desaparece do ambiente físico, e na liturgia capitalista morreu emblemáticamente convertido pela mídia como um lendário homem, uma espécie de mito. A Presidenta decreta luto oficial (pra quê?), a mídia marketeada distorce a verdade, milhares de pessoas entorpecidas pelas matérias sensacionalistas e pirateadas sobre o falecido (quase um santo beatificado) emocionam-se, choram, gritam, desmaiam (a maioria nem conhecia ele), angustiam-se, fazem manifestações de solidariedade, vestem-se de preto (o que a cor preta tem haver com a morte?), acendem velas, incensos e vão em procissão até o velório do cadáver levar flores e dar o seu último adeus ao extinto José Alencar, mas, peraê!!, Que estória é essa de último adeus? Afinal, ele morreu ou não? Que corrente filosófica poderia explicar a realidade de uma despedida entre um ser vivo e um morto? Um ser vivo que despede-se de quem não pode despedir-se? Que coisa!! Acredito que até Aristóteles em suas obras de metafísica iria ficar confuso para entender isso. Na Brasilidade Mitológica os fenômenos místicos vagam aliciando as pessoas aos mais estranhos comportamentos. O sofisma da crendice religiosa é uma compulsão que nutre a coreografia do ritual do mito que reside no gueto das almas dos habitantes do país de Pedro Álvares Cabral, a orfandade de conhecimento e a fartura da ignorância são vias por onde trafegam a Brasilidade Mitológica. O mito é uma patologia à sanidade da vida espiritual, você recorda quando Jesus disse: “Se o Filho vos libertar, vocês serão, de fato, livres”. (Jo. 8.36 – NTLH), Jesus em onisciência previa os efeitos nocivos do mito. Onde não há a Verdade, há mito, onde há mito há escuridão, detenção religiosa, anemia e paralisia espiritual, e o mais estarrecedor: Não há a Liberdade Salvadora. Sem a Verdade a epidemia do mito com seu clima alucinógeno vai permanecer sedando, hipnotizando e conduzindo multidões a lugares movediços, lugares ermos onde a força humana ou qualquer que seja a tecnologia “ultra-moderna” são incapazes de resgatar e salvar alguém ludibriada pelo mito.


Por: Alex Albuquerque (Alex é Publicitário, e atualmente um dos alunos sobreviventes do 4º ano do Curso de Teologia do Seminário Betel Brasileiro em João Pessoa)

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Menino evangélico ora e é poupado por atirador em Realengo

Mateus Moraes, 13 anos, orou, pediu para não ser morto e ouviu do assassino dos colegas: 'Fica tranquilo que não vou te matar'


Mateus Moares, 13 anos, menino evangélico poupado do massacre de Realengo



Mateus Moraes, 13 anos, foi talvez o único aluno que teve a clemência do atirador Wellington Menezes, na Escola Municipal Tasso Vieira, em Realengo. Enquanto o criminoso disparava, frio e impassível contra seus colegas, Mateus orava perto do quadro negro, sem ser incomodado, na sala 1801, no primeiro andar do prédio da escola.

Eu estava em pé e era um dos mais nervosos. Pedi para ele não me matar, e ele disse: ‘Fica tranqüilo que não vou te matar.’ E não atirou em mim”, contou o menino.

Uma possível explicação, acredita Mateus, é o fato de que ele ficou o tempo todo orando. Fiel da Igreja Assembleia de Deus, o menino atribui a uma força superior o fato de ter saído vivo do ataque. “Deus me protegeu.”

O atirador andava calmamente pela sala, disparando contra as crianças, principalmente na cabeça e no tórax.

De acordo com a Polícia Militar, Wellington invadiu a instituição de ensino por volta das 8h e disparou contra alunos. A direção da escola informou que o homem – que era um ex-aluno – se passou por um palestrante para entrar na instituição de ensino. Ao chegar ao local, primeiro ele teria procurado uma professora que já tinha lhe dado aula no passado. Como não a encontrou, subiu para o primeiro andar, foi em duas salas do oitavo ano do Ensino Fundamental e efetuou disparos.

Fonte: IG

A Música Do Evangelho – Ilustração


Fritz Kreisler

Fritz Kreisler (1875-1962), violinista internacionalmente famoso, quis certa vez adquirir um violino que sabia ser de excelente qualidade, mas não tinha no momento o dinheiro exigido. Ele voltou mais tarde, mas o violino já havia sido vendido para alguém. Perguntou ao vendedor quem o adquirira. Em seguida, foi à procura do comprador, conversou com ele, mas o homem não queria vender o violino recém-adquirido.

Então Kreisler, mesmo desanimado, pediu ao homem que pelo menos o deixasse tocar um pouquinho antes de ir embora. Tomou nas mãos o instrumento, fechou os olhos, e tocou tudo o que sabia. Quando acabou, o homem estava tão encantado que disse: “Sr. Kreisler, depois do que acabo de ouvir, eu não tenho o direito de guardar esse instrumento comigo. É seu, leve-o ao mundo inteiro e faça com que as pessoas ouçam o que eu ouvi agora” – Our Daily Bread 4-2-94 (O Pão Nosso de Cada Dia).

Nossa missão é tocar para os ouvidos do mundo a música sublime do Evangelho!

Recebemos esta sublime mensagem de graça. Vamos não parar de tocar nunca. Vamos tocar, vamos contar o Evangelho, não porque somos mandados, mas, porque podemos porque o Espírito quer e porque Jesus está conosco.



Autor desconhecido

Fonte: Ilustração

No estilo “Prova de Fogo”, Amor sem Limites promete abalar o coração dos casais

A BV Films se prepara para, mais uma vez, para abalar o coração das pessoas que se encontram em vida...

BV Filmes - Prepara Lançamentos
de Filmes Gospel
A BV Films se prepara para, mais uma vez, para abalar o coração das pessoas que se encontram em vida conjugal. Em 2009 a empresa lançou o filme “Prova de Fogo” que foi sucesso absoluto e o filme cristão número 1 em número de vendas no Brasil e no Exterior, sendo considerado o filme cristão mais visto e premiado de 2009.

Agora a empresa se prepara para trazer o filme “Amor Sem Limites”, que conta uma verdadeira história de perdão, conversão e fé de que o casamento é uma instituição para toda a vida. Um filme com Anthony Tyler (da série “O Mundo É Dos Jovens”), Danielle Bisutti (interpretou “Joan” em “The O.C – Um Estranho No Paraíso” e fez participações em “2 Homens e Meio” e “Tubarão”), Jay Underwood (Fez o Homem Tocha do antigo longa “O Quarteto Fantástico” e participações em “Arquivo X” e “Star Trek Voyager”) e Eric Bivens-Bush (participação em “Todo Mundo Odeia O Chris).

O Filme é sucesso nos EUA e foi declarado com sendo um filme “PODEROSO” pela American Family Association. A BV Films ainda disponibilizará no site do filme um guia de estudos bíblicos que tem como base a história do filme para ser exercitado nas igrejas.

A história do filme:


Jeff e Heather Baker eram “sortudos”. Melhores amigos na infância, namorados na adolescência e casados aos vinte e dois anos, eles eram almas gêmeas inseparáveis. Após o nascimento do filho deles, Heather cai em uma depressão profunda. Sem mais esperanças, ela desaparece. Dez anos depois do desaparecimento da esposa, o mundo de Jeff dramaticamente dá uma reviravolta quando Heather, espantosamente, reaparece em um lugar nada comum. Com um repertório composto e apresentado pela ganhadora de prêmios cristãos e artista Michelle Tumes, Amor Sem Limites é uma história tocante sobre fé e perdão para a família.


Fonte: BV Films

YouTube cria 'escola' para educar usuários sobre direitos autorais

Vídeo ensina internautas sobre o que é propriedade intelectual.
Usuário que 'violar' lei terá que assistir ao vídeo antes de enviar conteúdo.


O YouTube modificou sua normativa para combater o uso ilegítimo de conteúdos protegidos e lançou uma “escola” para mudar a conduta de usuários. A partir de agora, qualquer internauta que receber uma "notificação de direitos autorais" por se aproveitar da obra de outros, deverá assistir a chamada “YouTube Copyright School”.

A “escola” virtual é, na realidade, um vídeo de menos de cinco minutos em que os personagens do desenho animado “Happy Tree Friends” falam ao usuário sobre o que é propriedade intelectual e como funciona a lei que rege seu cumprimento.


YouTube usou personagens do "Happy Tree Friends" para falar sobre direitos autorais (Foto: Reprodução)


Ao final do vídeo, que pode ser visto com legendas em vários idiomas, o “aluno” responde a um questionário para provar que prestou atenção e entendeu a mensagem. Caso o usuário passe pelo teste, ele poderá voltar a enviar vídeos ao YouTube.


Contas Canceladas

 
O YouTube reformou sua central de ajuda sobre direitos autorais para facilitar o conhecimento do usuário sobre quais conteúdos podem ser divulgados no site. O Google, além disso, introduziu mudanças em sua política de cancelamento de contas que infrinjam repetidas vezes as leis de “copyright”. Até agora, as contas eram fechadas após três notificações.

"Descobrimos que, em alguns casos, esta norma geral nem sempre levava ao resultado correto", assinalou o YouTube em seu blog. Segundo o site, o antigo sistema não dava uma nova chance ao usuário. “Hoje começaremos a eliminar os históricos de infrações de contas em certas circunstâncias depois que se complete com sucesso a “YouTube Copyright School” e se prove uma trajetória a longo prazo de bom comportamento”, disse o YouTube no blog.


Da agência EFE

Documentário contará a história da Bíblia King James que completa 400 anos em maio

A tradução lançada pelo rei Inglês em 1611 é um marco na história do evangelho no mundo


Bíblia King James (400 anos)

Em comemoração aos 400 anos da Bíblia King James a Lionsgate se prepara para lançar um documentário que retrata a história de um dos livros mais venerados no mundo.

O documentário “KJB: O Livro que Mudou o Mundo” retrata passeios de espectadores ao longo da história, explicando a origem, significado e impacto da tradução King James.

O filme foi promovido pelo premiado ator John Rhys-Davies (O Senhor dos Anéis, Indiana Jones e A última Cruzada), ele conta como a tradução do King James nasceu, começando com a ascensão de Jaimes I ao trono Inglês, em 1603, em dramatizações curtas dos eventos em torno da criação da Bíblia.

Em sua narrativa, Rhys-Davies conta que em 1603 com a ascensão do Rei James ao trono Inglês, em uma época onde o país estava “no centro de uma revolução teológica.”

O rei convocou uma conferência com Puritanos Ingleses no Palácio da Corte de Hampton e mesmo sem ser o tema da reunião, um dos puritanos sugeriu uma nova tradução da Bíblia, já que o Rei não estava satisfeito com nenhuma das traduções na língua inglesa que existia.

Enquanto King James continuava a procurar uma nova tradução houve conspirações contra ele e seu reino, incluindo a Conspiração da Pólvora, 1605 – inspiração para o filme popular “V para Vendetta.” Por esse motivo demorou sete anos para terminar a tradução. Foi publicado pela primeira vez em 05 de maio de 1611.

Para comemorar esses 400 anos muitas Igrejas e organizações criaram vários projetos entre podemos citar uma versão atualizada da NIV que foi propositadamente publicada este ano para o aniversário.

A Editora Thomas Nelson lançou um site que oferece uma grande variedade de conteúdo, incluindo vídeos, versículos bíblicos diários, podcasts e muito mais para a celebração dos  400 anos.

Outra ação que merece destaque trata-se do apoio do príncipe Charles que ofereceu sua contribuição, como patrono da Bíblia King James, ao participar da leitura para o projeto da Bíblia YouTube de João 14.

Fonte: Gospel Prime

Com informações Christian Post

terça-feira, 12 de abril de 2011

Gêmeos Winklevoss perdem disputa contra o Facebook

Os irmãos queriam elevar o valor de US$ 65 milhões que já ganharam de Mark Zuckerberg



Gêmeos Winklevoss

Mark Zuckerberg, dono do Facebook, não precisará pagar nenhum centavo a mais aos gêmeos Winklevoss, que reivindicam a criação do site de relacionamento quando todos eram estudantes da Universidade Harvard, entre o fim de 2003 e começo de 2004.

 A decisão, tomada por uma corte de apelações da Califórnia, mantém o acordo acertado entre as duas partes três anos atrás, posteriormente rejeitado pelos dois irmãos e mais um amigo.

Apesar da derrota, Tyler e Cameron Winklevoss e o parceiro deles no processo, Divya Narendra, continuarão com direito a um fortuna estimada em US$ 180 milhões, entre ações da empresa e a quantia que cada um já recebeu em dinheiro. Os três diziam ter direito a um valor superior porque, quando firmaram o acordo três anos atrás, o Facebook teria omitido o verdadeiro preço das ações da empresa.

A batalha judicial entre Zuckerberg e os Winklevoss, que durou seis anos, esteve no centro da trama do filme A Rede Social. Os irmãos argumentam que o dono do Facebook se apropriou da ideia deles de criar um site de relacionamentos chamado ConnectU - na época, já existiam outros na internet, como o Orkut, Friendster e MySpace.

Zuckerberg havia sido convidado pelos gêmeos e Narendra para desenvolver o site. Mas, paralelamente, criou o Facebook junto com o brasileiro Eduardo Saverin. Quando os irmãos tomaram conhecimento, o site já era um sucesso e o ConnectU acabou fracassando. Atletas olímpicos no remo, vindos de uma família aristocrática, os irmãos decidiram recorrer à Justiça.

No fim, conseguiram o acordo de US$ 65 milhões, que praticamente triplicou hoje com o avanço do site nos últimos anos, com meio bilhão de usuários. Mas, depois de assinarem, foram aconselhados por seus advogados a tentar elevar o valor pela suposta falta de conhecimento de quanto faturava o Facebook.

A decisão de ontem encerra a disputa e o juiz responsável foi bem duro com os irmãos. "Os Wiklevoss não são os primeiros que tentam conseguir na Justiça o que não conseguiram via concorrência no mercado", escreveu o juiz Alex Kozinski no texto para explicar a sentença.

 

Venda de música digital ultrapassará CDs em 2012

O ano de 2012 poderá ser considerado o ano do enterro oficial do CD. É que, pela primeira vez, as vendas de música em formatos digitais ultrapassarão os meios físicos.


A queda na venda de CDs se acentuou nos últimos anos – e, embora o crescimento das vendas em meios digitais não tenha a mesma velocidade, elas atingirão o valor de US$ 2,8 bilhões nos EUA no ano que vem. Será o principal meio de consumo de música.

O estudo da Strategy Analytics apontou que as vendas de CDs geraram US$ 3,8 bilhões em 2010, mas devem cair 29% até 2012, atingindo US$ 2,7 milhões.

“A música digital não está crescendo tão rápido quanto o esperado”, disse Martin Olausson, diretor de pesquisa em mídias digitais na Strategy Analytics. Embora as receitas das vendas online continuem crescendo, ele afirma que o tamanho da indústria fonográfica diminuirá.

Segundo o levantamento, o download de faixas avulsas será a principal fonte de lucro da indústria da música. A importância da publicidade e modelos de assinatura deve crescer nos próximos cinco anos.

Em 2015 a expectativa é que o mercado se divida assim: 39% downloads de faixas avulsas; 32% download de álbuns através de assinatura;14% assinaturas; 14% publicidade.




Por Tatiana de Mello Dias
Fonte: Estadão / Link P2P

Para Pensarmos ...

 
"É tão difícil e árduo viver a verdade, ao ponto de alguns escolherem viver de ilusões." (Charles Dantas Lima)

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Dízimo não é obrigatório segundo maioria de líderes evangélicos, revela pesquisa

A maioria dos líderes evangélicos acredita que a Bíblia não exige que os Cristãos dizimem, de acordo com uma pesquisa divulgada pela Associação Nacional de Evangélicos, na quarta-feira.

Cinquenta e oito por cento dos entrevistados (membros do conselho de diretores da NAE) disse que não acha que dar 10 por cento da renda para a Igreja é mandatório pela Bíblia, enquanto 42 por cento acham que sim.

Provavelmente o texto da pesquisa explica porque a maioria dos entrevistados disse que ofertar o dízimo, uma tradição forte entre as Igrejas evangélicas, não é um dever dos fiéis.

Dr. John Walton, professor do Antigo Testamento na Wheaton College, em Wheaton, Illinois, disse que não ficou surpreso com a pesquisa depois que viu a formulação da pergunta. Ele disse que a palavra “obrigatório” é o termo operativo.

“As pessoas que poderiam concordar com o dízimo ainda teriam dito: “Pois não, mas eu não tenho certeza se eu chamaria de obrigatório,” explicou Walton ao The Christian Post. “De volta ao velho [argumento], estamos debaixo da lei o ou da graça.”

Muitos dos líderes da NAE observaram em sua resposta que, embora o dízimo seja um modelo legal do Antigo Testamento, os Cristãos do Novo Testamento devem dar de sua generosidade. A maioria esmagadora, 95 por cento dos entrevistados disseram que dão pelo menos, 10 por cento.

“Qualquer coisa menos que isso parece ser uma resposta pouco generosa para com Deus,” escreveu David Neff, editor-chefe da Christianity Today, em sua resposta.

Dr. Kurt Fredrickson, diretor do Programa Doctor of Ministry no Seminário Fuller, em Pasadena, Califórnia, disse que a linguagem que está cada vez mais vendo entre pastores é a mordomia toda a vida.

“é sobre como damos todo o nosso ser a Deus, o que inclui dinheiro, é claro, mas também o nosso tempo e os dons,” disse Frederickson, que foi pastor durante 24 anos. “Eu gosto do comentário de David Neff… há certamente o senso de que a maneira como gastamos o nosso dinheiro diz muito sobre quem somos.”

O professor da Fuller apontou para John Wesley, fundador do movimento metodista, que deu muito de sua renda, e ganhou mais e manteve seu padrão de vida da mesma. Ele acabou dando cerca de 90 por cento de seu dinheiro e vivendo com 10 por cento.

Em vez de pensar em uma obrigação estrita, o professor de Antigo Testamento Walton também convidou os Cristãos a pensar sobre o dízimo em termos diferentes.

“Uma visão global de mordomia deve incluir um sentimento de gratidão para com Deus como a fonte de nossos bens. Se estamos tentando expressar nossa gratidão a Deus, não acho que as nossas palavras são suficientes,” disse Walton.

Ainda assim, a porcentagem padrão de 10 no Antigo Testamento pode servir como um “referência” acrescentou.

“Minha gratidão a Deus é ilimitada, portanto isso significa que eu preciso dar tudo?” ele colocou. “O que seria uma expressão adequada de gratidão? E isso é de onde a informação vem dentro do Antigo Testamento. Que Deus considerou ser uma expressão adequada para ser o dízimo.”

Ele acrescentou: “Mais ou menos como a referência para gorjetas em um restaurante, define quais são as expectativas.”

Ao contrário de quase todos os líderes da NAE que disseram que dizimaram pelo menos 10 por cento, Empty Tomb, Inc., relatou que os evangélicos ofertam às Igrejas apenas cerca de quatro por cento dos seus rendimentos. Entre todos os Cristãos, o percentual é ainda menor – apenas 2,43 por cento.

Douglas LeBlanc, autor do Dízimo: Provai-me Nisto, Comentou: “O que me enlouquece é que se houvesse um mandamento mais explícito para dar o dízimo, acho que ainda haveria gente que diria: ‘Não somos escravos da lei depois de tudo.”

“Os Cristãos americanos em particular, eu acho, nunca vão deixar de encontrar uma saída do dízimo, se eles não estão interessados.”

O Presidente da NAE, Leith Anderson comentou no final da pesquisa que espera ver mais “generosidade, proporcionada, alegre e sacrificial entre os evangélicos americanos” nos próximos anos cada vez mais as Igrejas oferecem cursos financeiros e ensinam sobre mordomia.

A NAE realiza Pesquisas de Líderes Evangélicos mensalmente entre sua diretoria, que incluem os presidentes das denominações, missões de organizações, universidades, editoras e Igrejas.


Aposentados mudam hábitos de vida para driblar perdas salariais

"É um dinheiro que faz muita falta. A gente já ganha pouco, ainda tiram o que é nosso por direito", afirma Luís da Cruz, militar aposentado


Evanice Santos, de 63 anos, abriu mão da pós-graduação, do curso de inglês e até do carro. Luís da Cruz deixou de viajar para o sítio que possui em Coqueiro do Paraguassu, no interior do estado. Já Cícero dos Santos não sabe o que é ter um jantar romântico com a esposa há alguns anos. E Geraldo Melo nem se lembra quando foi a última vez que pôde assistir a um jogo do seu time de coração, o Vitória, no estádio.

É dieta forçada, rodízio na compra de remédios, entre outras artimanhas para fazer o dinheiro “render” no fim do mês. As mudanças de hábitos têm uma explicação: as perdas salariais nos benefícios das aposentadorias para quem ganha acima de um mínimo. Assim como outros tantos aposentados brasileiros, eles viram o seu salário desvalorizar ano após anos, devido ao reajuste menor do que o índice do mínimo. São perdas que ultrapassam os 50% e que exigem dessa turma muito jogo de cintura para sobreviver no dia-a-dia.


Aposentada há 18 anos, Evanice dos Santos se viu obrigada a trabalhar novamente ao acumular perdas salariais que chegam a 40%; ela abriu mão da pró-graduação e até do carro


A presidente da Federação das Associações de Aposentados e Pensionistas da Bahia (Feasapeb), Marise Sansão, se queixa da situação. “As dificuldades são muitas. O transporte está mais caro, os remédios também aumentaram, água, luz, tudo sobe de preço, enquanto nosso salário só diminui”, reclama.

Quando se aposentou, há 18 anos, Evanice Santos recebia o equivalente a quase seis salários mínimos. Hoje, sobrevive com pouco mais de três
(R$ 1.635). Uma perda de 40%, segundo ela. Por causa disso, Evanice se viu obrigada a voltar ao batente. “Perdi o meu poder de compra e voltei a trabalhar como freelancer para garantir uma renda complementar”.

Ela lembra que teve de abandonar o curso de pós-graduação e mais o curso de inglês, além de mudar o filho de escola por não ter mais condições de pagar a mensalidade. “Foi um baque muito grande. Isso acaba com a autoestima de qualquer pessoa. Um dia você tem tudo, aí passam os anos e você se vê no fundo do poço”.

O mesmo acontece com Nelson Xavier. Fotógrafo aposentado, ele ainda aceita alguns serviços para incrementar a renda. “Se não for assim, não tem condições. Sempre que dá, estou trabalhando”. Cícero dos Santos também recorreu aos seus dotes de carpinteiro e marceneiro para tirar uma grana extra. “Mas, graças a Deus não falta nada lá em casa”, orgulha-se. Quando se aposentou pela prefeitura, ele disse que recebia algo em torno de sete salários mínimos. Hoje, não ganha mais do que três.

Sem poder trabalhar, Geraldo Melo resolveu cortar os gastos, para não passar aperto. Quem não gostou muito dos cortes foi a esposa. “Antes a gente saia para jantar, viajar, fazia uns programas mais românticos e hoje não dá mais”, diz. “Ela pensa até que é falta de amor, que o casamento esfriou, mas é a grana que está curta mesmo”, completa.

Ex-vendedor, Melo se aposentou há 10 anos por problemas de saúde. Na época, conseguia tirar até seis salários. E hoje, por causa das perdas, não chega nem a três. “O lazer é o que eu sinto mais falta. Abri mão até de assistir os jogos do Vitória no estádio”.

O militar aposentado Luís da Cruz também abriu mão do lazer para evitar gastos. Com um sítio no interior do estado, ele costumava viajar todos os meses para o local. Agora, é uma vez a cada dois meses e olhe lá. “Não sobra dinheiro. Agora tenho uma vida mais modesta, sem extravagâncias”, comenta.
PROJETOSO advogado da Associação dos Pensionistas e Aposentados da Previdência Social da Bahia (Asaprev-BA), Marcos Barroso, conta que existem dois projetos no Congresso pedindo, além da correção das perdas, um índice de reajuste vinculado ao do salário mínimo para os aposentados. Eles esperam ainda a extinção do fator previdenciário para calcular a aposentadoria. A presidente da Feasapeb, Marise Sansão, disse que a aprovação destes pleitos é a grande luta da categoria. “Vamos nos mobilizar para conseguir a aprovação desses projetos”.

As propostas trazem esperança também para Evanice. “Espero reaver esse dinheiro de alguma forma. É mais de R$ 1 mil que fazem muita falta no orçamento”. Luís da Cruz compartilha do mesmo pensamento. “O dinheiro faz muita falta. A gente já ganha pouco, ainda tiram o que é nosso por direito. Espero que tomem uma providência”.
Fórmula de cálculo prejudica os aposentadosDe acordo com o advogado da Associação dos Pensionistas e Aposentados da Previdência Social da Bahia (Asaprev-BA), Marcos Barroso, o salário dos aposentados está defasado devido ao reajuste, sempre inferior ao do salário mínimo. De 1994 até o ano passado, a diferença entre os aumentos chegou a 69,54%. O reajuste menor do benefício dos aposentados se justifica pela fórmula como é feito o cálculo.

Enquanto o salário mínimo tem a soma do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) mais o percentual do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos anteriores, a equação que reajusta o benefício dos aposentados considera apenas o medidor da inflação. Diretor da Asaprev, Lino Davi acumula uma depreciação de quase 50%. Há 17 anos, ele recebia o equivalente a sete salários mínimos. Hoje, não chega a quatro.

REVISÃO
Enquanto  aguardam a análise dos projetos referentes à recuperação das perdas salariais, os aposentados esperam, ainda, uma decisão sobre revisão dos benefícios para aqueles que ganham acima do teto e foram prejudicados  pelas emendas 20/1998 e 41/2003.  A Previdência Social informou que aguarda ainda este mês um parecer da Advocacia Geral da União (AGU), com as regras que definirão quem tem direito à revisão.

Em fevereiro, o Supremo Tribunal Federal (STF) publicou acórdão reconhecendo e autorizando o pagamento da revisão dos benefícios para aqueles que se aposentaram entre 1998 e 2003. A medida deve beneficiar mais de 150 mil aposentados no país.




quinta-feira, 7 de abril de 2011

Mulher gasta R$ 12 mil para parecer Drag Queen

Collagen Westwood, de apenas 21 anos, já gastou mais de R$ 12 mil em cirurgias plásticas, para ser uma mulher diferente. Ou melhor, para parecer uma mulher que parece um homem tentando parecer uma mulher...


É que, durante sua infância em Londres, a garota conviveu com as várias drags que eram amigas de sua mãe, então cresceu admirando e desejando ser tão "glamurosa" quanto todas elas. Não por coincidência, a aspirante a cantora teve Boy George, Lily Savage e Pete Burns como ídolos na infância.

Ela está começando a viver esse sonho: segundo o site Oddity Central, todas as economias dela estão sendo gastas em injeções de colágeno e plásticas no nariz.

- Eu tenho algumas perucas diferentes, que uso quando saio, e as pessoas sempre pensam que sou travesti. Eu amo quando as pessoas me confundem com um homem. Não me ofende, porque eu acho travestis fantásticas.

Agora, Collagen precisa de cerca de três horas para fazer a "colagem" e se arrumar - isso com a ajuda de um amigo maquiador.

A garota diz que adora parecer “de plástico” e não está agüentando de ansiedade para fazer mais cirurgias. Ela pretende aumentar os seis (mais?!), além de remover algumas costelas para poder usar corseletes bem apertados.

- Elas são glamorosas e lindas. Por qual razão uma mulher não iria querer ser assim?

Fonte: Portal PB Agora / R7

Filhos de Mulheres acima de 40 são mais Saudáveis, diz Estudo

Pesquisa feita com 38 mil crianças britânicas comprovou que mães mais velhas cuidam melhor da saúde dos bebês.



Um novo estudo britânico afirma que mulheres que engravidam a partir dos 40 tendem a cuidar melhor da saúde dos filhos.

Segundo a pesquisa - feita com 38 mil crianças - bebês nascidos de mães mais velhas tendem a sofrer menos acidentes até os 5 anos. Eles também precisam menos de atendimento hospitalar, e tendem a ter todas as vacinas em dia, se comparados com filhos de mães mais jovens.

'Uma série de estudos já comprovou que é arriscado ter filhos em idade avançada. Mas se você é uma mãe mais velha, é provável que cuide melhor da saúde do bebê', disse o pediatra Alastair Sutcliffe, autor do trabalho.

O estudo foi apresentado na última quarta-feira no Encontro Anual da Sociedade Real de Pediatria e Saúde Infantil da Grã-Bretanha.

Bebês Saudáveis

Sutcliffe diz que sua equipe examinou dados de grupos de crianças que pertenciam a dois outros estudos.

Um dos grupos participava de uma pesquisa sobre bebês nascidos no início do novo milênio. O outro era parte de um programa do governo britânico para melhorar as condições de saúde de crianças nascidas de famílias pobres.

'Nos dois programas, as crianças foram examinadas periodicamente aos 9 meses, aos 3 e aos 5 anos. A nossa equipe decidiu utilizar os dados destas medições para comparar o desenvolvimento da saúde dos bebês de mães com 40 anos ou mais com as outras', diz Sutcliffe.

Os pesquisadores usaram quatro parâmetros para examinar a saúde das crianças: número de acidentes sofridos, número de vezes em que foram internadas em hospitais, Índice de Massa Corporal e vacinação.

De acordo com o pediatra, até os 5 anos os filhos de mulheres com mais de 40 tendem a ser mais saudáveis em geral. 'Eles sofreram menos acidentes, foram internados com doenças graves menos vezes e, pelo menos até os 9 meses tinham as vacinas mais em dia', disse.

No entanto, o pesquisador explica que o estudo identificou uma leve tendência destas crianças a ganhar peso rapidamente. Segundo ele, isso seria uma influência do Índice de Massa Corporal das mães, que costuma aumentar com a idade.

Os resultados foram os mesmos independentemente da classe social das mães.


Fonte: G1 / BBC Brasil

Britânico de 85 anos cruza Atlântico em jangada de tubos de plástico

Ex-apresentador da BBC quer angariar fundos para ONG, e chamar atenção para 1 bilhão que vive sem água potável.

Um britânico de 85 anos cruzou o Oceano Atlântico com três pessoas a bordo de uma jangada feita de tubos de plástico.
Anthony Smith, um ex-apresentador da BBC, completou um percurso de 4.596 quilômetros em 66 dias no mar.

A viagem tem como objetivo angariar um total de 50 mil libras (cerca de R$ 131 mil) para a ONG WaterAid. Smith quer também chamar atenção para o fato de que 1 bilhão de pessoas no mundo vive sem água potável.

A equipe de Smith partiu das Ilhas Canárias e alcançou o Caribe na quarta-feira.

Ele recrutou o que chamou de um grupo de ''cavalheiros intrépidos e maduros'', com idades entre 56 e 61 anos, ao postar um anúncio no jornal Daily Telegraph.

O texto dizia: "Quer cruzar o Atlântico de balsa? Viajante famoso busca equipe de três. Devem ser pessoas de idade avançada. Somente aventureiros sérios".

O octogenário foi repórter de ciência da BBC e apresentador do programa Tomorrow's World, também da BBC, que foi cancelado em 2003, após 40 anos no ar.

Pouco antes da viagem, Smith afirmou: "viajar mais de 4.500 quilômetros em água salgada nos deixará profundamente conscientes a respeito dos lugares no mundo que não contam com fornecimentos de água adequados." O veículo dos tripulantes de meia-idade, batizado de An-Tiki, tinha 12 metros de comprimento e foi feito com tubos de plástico.

O barco era impulsionado por uma vela de 37 metros quadrados e conduzido com remos e lemes duplos, sendo capaz de viajar a uma velocidade média de quatro nós.

A equipe queria terminar a viagem nas Bahamas, mas fortes ventos e correntes forçaram-nos a atracar na ilha holandesa de St. Maarten, no Caribe.

O tripulante John Russell, de 61 anos, disse ao concluir a viagem que estava ansioso para tomar "um bom banho e lavar o sal do meu corpo".

Ele acrescentou que queria ainda saborear um bom bife. "Ficamos sem alimentos frescos por muito tempo, vivendo de enlatados. Nossas frutas e legumes frescos haviam acabado há muito tempo", disse.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Aposentado constroi réplica exata do Templo de Herodes em 30 anos

Alec Garrard, 80 anos, é um fazendeiro aposentado que vive em Norfolk, na Inglaterra. Ele passou os últimos 30 anos construindo uma réplica do Templo de Herodes em uma escala de 1:100.

Garrad criou réplicas como hobby durante boa parte de sua vida, mas sempre quis fazer algo mais ambicioso. Como sempre se interessou por arquitetura e religião, ele resolveu combinar os dois assuntos e criar uma réplica do Templo de Herodes. O aposentado já havia visto outras réplicas da mesma construção, mas, segundo ele, elas eram imperfeitas.]

Ele começou a construção quando tinha mais de 40 anos. Os primeiros anos de trabalho foram dedicados apenas à pesquisa da estrutura, a construção foi iniciada bem depois. Todas as peças foram feitas à mão por Garrad, incluindo os 4 mil personagens vestidos com roupas de época.

Até hoje, Garrad não considera que seu templo é uma obra concluída. Confira as fotos:









Fonte: Site Gospel+ / Internacional

terça-feira, 5 de abril de 2011

A estratégia de Obama junto ao Google e ao Facebook

Há trinta anos não poderíamos saber que algo chamado ‘internet’ nos levaria a uma revolução econômica. O que podemos fazer agora – o que os EUA fazem melhor do que qualquer um – é instigar a criatividade e a imaginação de nossa gente. Colocamos carros nas estradas e computadores nos escritórios”, disse Barack Obama, em janeiro passado, no tradicional discurso Estado da Nação que o presidente norte-americano apresenta no início de ano. “Somos a nação de (Thomas) Edison e dos irmãos Wright; do Google e do Facebook. Nos EUA, a inovação não só muda as nossas vidas. É como nós a vivemos.” E continuou: “Há meio século, quando os soviéticos nos ultrapassaram ao lançar no espaço um satélite chamado Sputnik, não tínhamos ideia que chegaríamos antes deles à Lua. Não existia tal ciência. Nem a Nasa. Mas depois de investir muito em pesquisa e educação, nós não só passamos os soviéticos como lançamos uma nova onda de inovação que criou milhões de novos empregos. Este é o momento Sputnik de nossa geração.”

Siga o ‘Link’ no Twitter e no Facebook

Ou seja: a corrida espacial do século 21 acontecerá entre nossos computadores e celulares. O discurso de Obama só não diz com todas as letras que a internet é uma invenção norte-americana. Afinal, não é. A rede Arpanet foi sim criada pelo Pentágono e foram as universidades norte-americanas as primeiras a reconhecer naquela rede um objetivo mais prático do que o que deu origem a ela – inventada por militares, servia para salvar informações que pudessem ser destruídas no caso de um ataque inimigo. Mas a rede só se popularizou graças a uma invenção europeia, a World Wide Web.

Mas se Obama não diz literalmente que a internet é americana, ele sublinha que seus principais personagens atuais – Google e Facebook – são. E isso não fica só no discurso, como pode-se perceber no jantar em que o presidente norte-americano recebeu os principais nomes desta indústria (Zuckerberg, Jobs, dois nomes do Google, entre outros) em fevereiro, além da movimentação de executivos entre os dois sites e a Casa Branca.

Uma das principais especulações sobre essa dança das cadeiras, aliás, diz respeito a um dos personagens centrais desta indústria. Eric Schimdt já passou pela Bell, pelo histórico PARC da Xerox, pela Sun e pela Novell, antes de virar CEO do Google e entrar do conselho da Apple. No mesmo mês em que jantou com Obama, anunciou que deixaria o cargo no Google. Mas um rumor que ganhou força durante o mês de março é que ele assumiria o cargo que hoje é de Gary Locke, o secretário de Comércio dos EUA que veio reunir-se com a ministra da Cultura Ana de Hollanda no mês passado, conforme apurou a repórter Tatiana de Mello Dias no Link há duas semanas. Locke assumiria o cargo de embaixador dos EUA na China, cedendo a vaga para Schimdt – que deixa de ser o homem do Google para se tornar o homem do comércio exterior daquele país.

Será esse um novo tipo de imperialismo, em que filmes, discos e livros não precisam ser boicotados? Uma coisa é tentar execrar uma obra, outra coisa é convencer as pessoas a não usar esses dois sites… O problema é que internet não é só Google e Facebook. E como o próprio Obama disse, se Google e Facebook são seu Sputnik, pode ser que alguém reaja a isso com uma nova Nasa para o século digital.


Por Alexandre Matias