sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Segundo Casamento - Os erros e acertos do primeiro casamento podem ajudar o segundo a dar certo



O primeiro casamento não deu certo. Sentindo a dor da separação, você jurou que nunca mais iria se casar de novo. Mas aí o tempo passou, as feridas cicatrizaram, um novo amor chegou e, quando você se deu conta, estava prestes a juntar as escovas de dente novamente. O segundo casamento é mais fácil ou mais difícil que o primeiro? Mulheres que estão no segundo matrimônio respondem abaixo.

Se tem uma coisa que o primeiro casamento mostra é a necessidade de ser tolerante com os defeitos do outro. A usuária do site Bolsa de Mulher Helena acredita que o segundo pode ser melhor do que o primeiro. "Estou no segundo casamento e hoje sei exatamente como levar a relação, como conversar, como conseguir as coisas", diz ela, que parece mais compreensiva com as limitações do companheiro. "Ninguém é perfeito e todos temos defeitos. Não devemos nos apegar a pequenas coisas, implicâncias bobas do dia a dia. Se não soubermos entender e lidar com o outro, o amor acaba rapidamente", lembra.

É casando que se aprende
A usuária do Bolsa de Mulher Cindy conta que, no segundo casamento, se relaciona de forma mais madura. "Em minha primeira experiência, eu era muito ingênua. Acreditava que querer é poder, e que com amor e dedicação a gente consegue moldar as pessoas e mudar a situação. Hoje sei que não é assim", conta ela, que ficou casada por nada menos do que 21 anos.

Cindi acredita que um casal tem que ter afinidades e compatibilidades. "Devemos considerar fatores racionais e não somente emocionais na escolha do nosso companheiro de vida. A mulher não deve tomar para si todas as responsabilidades, devemos tirar a monotonia e a rotina da relação e não ficar parada no tempo", enumera ela que, depois de todo aprendizado, está muito feliz na nova relação. "Está melhor do que eu poderia imaginar!!!", comemora.

É preciso ter em mente que, mesmo com experiência e maturidade, o segundo casamento não é garantia de que tudo vai dar certo. Na segunda experiência, a primeira pode teimar em dar as caras, como acontece com a usuária do Bolsa Helen Mendes. Ela se separou do primeiro marido e se casou novamente. "O problema é que a ex dele não para de ligar, sempre com a mesma desculpa: os filhos, a casa dela, a mãe dela. É um saco e isso me irrita profundamente", revela.

Helen suspeita que a relação do marido com a ex-mulher ainda não esteja 100% resolvida. "Já tem 3 anos que eles se separaram, mas ela não se conforma com o final do casamento", conta Helen, se dizendo capaz de entender o sofrimento da rival por já ter passado por uma separação dolorosa. "O que não dá pra aceitar é que o tempo passa e ela continua na mesma. Acho que a culpa é dele, que dá espaço pra isso. Tenho me desgastado demais e estou a ponto de desistir", desabafa.

 
Erros X Acertos

 
Segundo a psicóloga Beatriz Amaral, não há o lado bom ou ruim de casar pela segunda vez. "O que acontece é que, quando o primeiro casamento não vai bem e a separação é inevitável, esta experiência tão forte e marcante é fonte de um grande aprendizado não só para uma nova relação como para toda a vida", explica, salientando que, numa segunda união, o que vai mudar é a experiência de já ter passado por algo semelhante, não ser mais uma novidade morar junto com outra pessoa, dividir espaços, responsabilidades e tudo que envolve um casamento na prática. "Mas não há a garantia de que será melhor que o outro. Apenas será diferente", afirma.

Para Beatriz, tendo mais experiência você adquire mais recursos para enfrentar situações que no passado foram problemas e talvez no novo relacionamento não sejam. "A pessoa está mais madura, os filhos do primeiro casamento já estão grandes, a situação financeira pode estar mais estabilizada, aspectos que contribuem para uma fase de crise ou união conjugal", explica.

Mas a psicóloga lembra: outros fatores de estresse virão. "A grande diferença do primeiro casamento para o segundo é que são relacionamentos diferentes com pessoas diferentes. O que quero dizer é que a pessoa que se casa pela segunda vez não é a mesma pessoa que casou no passado, porque nós mudamos sempre. Um casamento duradouro, no meu ponto de vista, é a arte de se relacionar com uma nova pessoa todos os dias", conclui.



Fonte: Portal "Bolsa de Mulher"